quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal



Um Natal Quentinho e Cheio de sorrisos.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Hoje sinto-me assim..... ou será sempre?!!



"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces



Estendendo-me os braços, e seguros


De que seria bom que eu os ouvisse


Quando me dizem: "vem por aqui!"


Eu olho-os com olhos lassos,


(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)


E cruzo os braços,


E nunca vou por ali...


A minha glória é esta:


Criar desumanidade!


Não acompanhar ninguém.


- Que eu vivo com o mesmo sem-vontade


Com que rasguei o ventre à minha mãe




Não, não vou por aí! Só vou por onde


Me levam meus próprios passos...




Se ao que busco saber nenhum de vós responde


Por que me repetis: "vem por aqui!"?




Prefiro escorregar nos becos lamacentos,


Redemoinhar aos ventos,


Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,


A ir por aí...




Se vim ao mundo, foi


Só para desflorar florestas virgens,


E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!


O mais que faço não vale nada.




Como, pois sereis vós


Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem


Para eu derrubar os meus obstáculos?...


Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,


E vós amais o que é fácil!


Eu amo o Longe e a Miragem,


Amo os abismos, as torrentes, os desertos...




Ide! Tendes estradas,


Tendes jardins, tendes canteiros,


Tendes pátria, tendes tectos,


E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...


Eu tenho a minha Loucura !


Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,


E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...




Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém.


Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;


Mas eu, que nunca principio nem acabo,


Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.




Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!


Ninguém me peça definições!


Ninguém me diga: "vem por aqui"!


A minha vida é um vendaval que se soltou.


É uma onda que se alevantou.


É um átomo a mais que se animou...


Não sei por onde vou,


Não sei para onde vou


- Sei que não vou por aí!

 


  José Régio- Cântico Negro

domingo, 29 de novembro de 2009

Hoje sinto-me assim.....

Sabe bem num dia de chuva ..... 




Shimbalaiê, Maria Gadu

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

...E as mão dizem o resto...


Quando as palavras


secam na garganta


no momento exacto de as dizer


parecem rochas encrostadas na terra


impossíveis de as moldar.




Fico na impotente ansiedade


como náufrago, sem gritar.




Sei como são cruéis


e tiranas as palavras


que se recusam a pronunciar-se


naquele exacto momento


em que mais são precisas.




Quando me acontece contigo


substituo-as pelo olhar


e as mãos dizem o resto.




domingo, 15 de novembro de 2009

Tenho Tanto Sentimento




Tenho tanto sentimento

Que é frequente persuadir-me

De que sou sentimental,

Mas reconheço, ao medir-me,

Que tudo isso é pensamento,

Que não senti afinal.


 
Temos, todos que vivemos,

Uma vida que é vivida

E outra vida que é pensada,

E a única vida que temos

É essa que é dividida

Entre a verdadeira e a errada.



Qual porém é a verdadeira

E qual errada, ninguém

Nos saberá explicar;

E vivemos de maneira

Que a vida que a gente tem

É a que tem que pensar.




Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Amor-perfeito

                                                                             
Neste lugar imperfeito

Onde as pedras calam

E o ar é rarefeito


Nesta terra árida

Onde répteis rastejam

E o fruto é amargo


Nestes galhos secos

Onde as aves recolhem

Seus ninhos vazios


Aqui, bem-amado

Plantei um canteiro

De amor perfeito








Cleonice Bourscheid


quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Não sei quantas almas tenho




Não sei quantas almas tenho.


Cada momento mudei.

Continuamente me estranho.

Nunca me vi nem achei.

De tanto ser, só tenho alma.

Quem tem alma não tem calma.

Quem vê é só o que vê,

Quem sente não é quem é,



Atento ao que eu sou e vejo,

Torno-me eles e não eu.

Cada meu sonho ou desejo

É do que nasce e não meu.

Sou minha própria paisagem,

Assisto à minha passagem,

Diverso, móbil e só,

Não sei sentir-me onde estou.



Por isso, alheio, vou lendo

Como páginas, meu ser.

O que segue prevendo,

O que passou a esquecer.

Noto à margem do que li

O que julguei que senti.

Releio e digo: "Fui eu"?

Deus sabe, porque o escreveu.





Fernando Pessoa



Sara Tavares - Ponto de Luz



Para ouvir, relaxar e quem sabe reflectir....

De Volta

Ao fim de quase um ano de interregno volto aqui onde esta de certa forma um pouco de mim ....
Foi bom reler alguns dos meus pensamentos e vivências....
Vou voltar. Decidi !
...Porque aqui estam registados os meus melhores e piores momentos.
Ao escreve-los , percorri sentidos e emoções.
Tentei descrever com palavras os sentimentos mais contraditórios.
Se consegui?
Não Sei!
Mas vou continuar...

segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

sábado, 22 de dezembro de 2007

Vou Contar-te um Segredo





" Pega no telefone e liga-lhe não tens nada a perder. Diz-lhe que tens saudades dele, que ninguém te faz tão feliz, que os teus dias são secos, frios e áridos, como um deserto imenso, sem oásis nem miragens, sempre que não estão juntos. Pega no telefone e liga-lhe. Se ele não atender, deixa-lhe uma mensagem. Ou então escreve-lhe um sms a dizer que queres estar com ele. Não te alongues nem elabores, os homens nunca percebem o que qeres deixar cair nas entrelinhas. Tens de ser clara, directa e incisiva. E não podes ter medo, porque o medo é o maior inimigo do amor. Cada vez que deixares o medo entrar-te nas tuas veias, ele vai gelar-te o sangue e paralisar-te os nervos, ficas transformada numa estátua de sal e morres por dentro. (...) A vida é uma incógnita, hoje estás aqui, amanhã podes ficar doente,ou cair-te um piano em cima quando fores a andar na rua. Ainda há pessoas que atiram pianos pela janela, sabias? Nunca se sabe como será o dia de amanhã, por isso não percas tempo e pega no telefone e liga-lhe. Tenho a certeza que ele te vai ouvir, tenho a certeza que ele te vai ajudar, tenho a certeza que ele, à sua maneira - e é tão estranha a forma como os homens gostam de nós - ainda gosta de ti. Mesmo que já não te ame, ainda gosta de ti, como tu vais aprender a gostar dele, quando a vida te obrigar a desistir deste amor. Ele está longe, mas olha para ti por entre memórias, presentes e flores. À noite, entre sonhos alterados pelo álcool e as drogas leves, tu apareces-lhe na cama e ele volta a sentir o cheiro da tua pele e volta a amar-te com todas as suas forças. Ainda que não acredites, tu viverás para sempre nele, tal como ele vive em ti, na memória das tua células, num passado que pode ser o teu escudo, mesmo que não seja o teu futuro. Pega no telefone e liga-lhe. Fala com ele de coração aberto, diz-lhe o que queres ver, chora se for preciso, pede-lhe que te diga se sim ou se não. Se for preciso, por mais que te custe, pede-lhe para escrever a palavra NÃO. Pede-lhe uma resposta para o teu coração. Mais vale saberes que acabou tudo do que viveres com as laranjas todas no ar, qual malabarista exausto, sem saberes nem como nem quando elas vão cair. Mais vale chorar a tristeza de um amor perdido do que sonhar com um oásis que se tranformou numa miragem. Pega no telefone e liga-lhe. Liga as vezes que forem precisas até conseguires uma resposta, a paz de uma certeza, mesmo que essa certeza não seja a que desejavas ouvir. Mas não fiques quieta, à espera que a vida te traga respostas. A vida é tua, tens de ser tu a vivê-la, não podes deixar que ela passe por ti, tu é que passas por ela. E quando todas as laranjas caírem, apanha-as com cuidado, guarda-as num cesto e muda de profissão. O circo é para quem não tem casa nem país, não é vida para ninguém. Guarda as laranjas num cesto, leva-as para casa e faz um bolo de saudades para esquecer a mágoa. E nunca deixes de sonhar que, um dia, vais encontrar alguém mais próximo e mais generoso, que te ensine a ser feliz, mesmo com todas as pedras que encontrarem no caminho. Larga as laranjas e muda de vida. A vida vai mudar contigo.

" Margarida Rebelo Pinto, in " Vou Contar-te um Segredo "


P.S-Sabio conselho mas para já fico-me pela intenção.....

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Hoje sinto-me assim






Everything but the - I don't want to talk about

domingo, 30 de setembro de 2007

Eu SEI......

Se eu voar sem saber onde vou
se eu andar sem conhecer quem sou
se eu falar e a voz soar com a amanhã
eu sei...


se eu beber dessa luz que apaga
a noite em mim
e se um dia eu disser
que já não quero estar aqui
só Deus sabe o que virá
só Deus sabe o que será
não há outro que conhece
tudo o que acontece em mim

se a tristeza é mais profunda que a dor
se este dia já não tem sabor
e no pensar que tudo isto já pensei
eu sei...


se eu beber dessa luz que apaga
a noite em mim
e se um dia eu disser
que já não quero estar aqui
na incerteza de saber
o que fazer, o que querer
mesmo sem nunca pensar
que um dia o vá expressar
não há outro que conhece
tudo o que acontece em mim...

domingo, 16 de setembro de 2007

Nascidos antes de 1986.


Depois de muitos e-mail's recebidos com o conteúdo que a seguir apresento, decidi juntar-me a estas vozes que tanto se esforçam por fazer passar a mensagem.


"Nasceste antes de 1986?"


Então lê isto...


Se não... lê na mesma...Esta merece!!!!!Deliciem-se...





De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que nascemos nos anos 60 - 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.



Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.



Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.



Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus.



Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem.



Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora.



Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.



Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentose depois andávamos a grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões.



Depois de acabarmos num silvado aprendíamos.Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer.



Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso.



Não tínhamos PlayStation, X Box.Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.



Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos á rua.



Jogávamos ao elástico e à barra e a bola até doía!



Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.



Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.



Batíamos ás portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados.



Íamos a pé para casa dos amigos.



Acreditem ou não íamos a pé para a escola;



Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.



Criávamos jogos com paus e bolas.Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem. Eles estavam do lado da lei.





Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre.





Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.



Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo.



És um deles? Parabéns!



Passa esta mensagem a outros que tiveram a sorte de crescer como verdadeiras crianças, antes dos advogados e governos regularem as nossas vidas, "para nosso bem".



Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós.



Isto, meus amigos é surpreendentemente medonho... E talvez ponha um sorriso nos vossos lábios.



A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em 1986.



Chamam-se jovens.



Nunca ouviram "we are the world" e uptown conhecem de westlife e não de Billy Joel.Nunca ouviram falar de Rick Astley, Banarama ou Belinda Carlisle.



Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.



A SIDA sempre existiu.Os CD's sempre existiram.



O Michael Jackson sempre foi branco.



Para eles o John Travolta sempre foi redondo e não conseguem imaginar que aquele gordo fosse um dia um deus da dança.



Acreditam que Missão impossível e Anjos de Charlie são filmes do ano passado.



Não conseguem imaginar a vida sem computadores.



Não acreditam que houve televisão a preto e branco.

Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:

1. Entendes o que está escrito acima e sorris.


2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.

3. Os teus amigos estão casados ou a casar.

4. Surpreende-te ver crianças tão á vontade com computadores.

5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes com telemóveis.


6. Lembras-te da Gabriela (a primeira vez).


7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.





SIM ESTÁS A FICAR VELHO heheheh , mas tivemos uma infância do caraças"

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Hoje Sinto-me Assim

Sit down, give me your hand
I'm gonna tell you the future
I see you, living happily
With somebody who really suits ya
Someone like me

Stand still
Breath in
Are you listening

You don't know
Somebody's aching
Keeping it all in
Somebody won't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show

Break down. Give me some time
I don't want the fear to confuse ya
Right now, it's so wrong
But maybe it's all in the future with
Someone like you

Stand still. Breath in
Are you listening

You don't know
Somebody's aching. Keeping it all in
Somebody won't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show

Maybe truth, maybe lies
Made me want you
Maybe dumb, maybe wise
I don't know

Somebody's aching
Keeping it all in
Somebody won't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show
You don't know
Somebody's hurting
Holding it all in
Somebody can't let go
Of his heart but the truth is
It's painless
Letting your love show

Love show
Letting your love show


Skye - Love Show

sábado, 18 de agosto de 2007

Parece facil.... mas não é!....




Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata!

Fácil é ouvir a música que toca, difícil é ouvir a própria consciência, a acenar, mostrando as nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras, muito mais difícil é segui-las. Ter a noção exacta das nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que se deseja saber, difícil é estar preparado para ouvir a resposta, ou querer entendê-la e aceitá-la...

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida, difícil é entender que, pouquíssimas delas nos aceitam como somos, e nos podem fazer feliz por inteiro...

Fácil é ser um nome na cabeça de alguém, difícil é ocupar o coração de uma pessoa, saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites, difícil é lutar por um sonho.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar, difícil é mentir para o nosso coração...

Fácil é ver o que queremos ver, difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.

Fácil é dizer "olá" ou “tudo bem”, difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém das nossas vidas...
Difícil é sentir a energia que é transmitida, aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado, difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e entregar-se, aprender a dar valor somente a quem nos ama.

Falar é fácil quando temos palavras em mente que expressam uma opinião... difícil é expressar por gestos e atitudes... O que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá...

Fácil é julgar pessoas que estão expostas pelas circunstâncias, difícil é encontrar e refletir sobre os próprios erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito mal.

Fácil é fazer companhia a alguém, dizer o que deseja ouvir, difícil é ser amigo sempre, e dizer sempre a verdade quando for preciso.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre ela, difícil é viver essa situação e saber o que fazer, ou ter coragem para o fazer....

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo nos irrita, difícil é expressar amor a alguém que, realmente nos conhece, respeita e entende...




Drummond de Andrade

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Hoje Sinto-me Assim!!.....

James Blunt Goodbye my lover

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

O amor visto pelos olhos das crianças

As crianças, essas sim... sabem o que é amor :

O que é o amor?

Excerto de respostas à pergunta : "O que é o amor ?" ,num grupo de crianças de 4 a 9 anos, durante uma pesquisa feita por profissionais de educação e psicologia.

"Amor é quando alguém te magoa, e tu, mesmo muito magoado, não gritas, porque sabes que isso fere os sentimentos da outra pessoa."

"Quando minha avó ficou com artrite, e deixou de poder dobrar-se para pintar as unhas dos pés, o meu avô passou a pintar as unhas dela, apesar de ele também ter muita artrite."

"Amor é como uma velhinha e um velhinho que ainda são muito amigos, apesar de se conhecerem há muito tempo."

"Quando alguém te ama, a forma de dizer o teu nome é diferente..."

"Amor é quando tu sais para comer e ofereces as tuas batatinhas fritas sem esperar que a outra pessoa te ofereça as batatinhas dela."

"Amor é quando minha mãe faz café para o meu pai e toma um gole antes, para ter certeza que está ao gosto dele."

"Amor é quando o teu cão te lambe a cara, mesmo depois de o teres deixado sozinho o dia inteiro."

"Se queres aprender a amar melhor, deves começar com um amigo de quem não gostas."

"Durante a minha apresentação de piano, eu vi o meu pai na plateia, acenando-me e sorrindo. Era a única pessoa que fazia isso, e eu não sentia medo."

"Amor é quando dizes a um rapaz que a camisa que ele usa é muito bonita, apesar de ele a vestir todos os dias."

"Não deveríamos dizer amo-te a não ser quando realmente o sentimos. E se sentimos, então deveríamos expressá-lo muitas vezes. As pessoas esquecem-se de o dizer"

"Amor é abraçar-se, amor é beijar-se."

"Quando amas alguém, os teus olhos sobem e descem, e pequenas estrelas saem de ti!"

Verdadeiras pérolas.... Não podia deixar de publicar

Reflecção

Gabriel García Marquez disse:

"A pior saudade é sentarmos ao lado da pessoa que queremos e sabermos que nunca será nossa..."

Saber que o que passou, passou... Não há maneira de repetir, senão nos recônditos da memória, onde esse sentimento chamado saudade se aloja.´

Reviver minuto após minuto momentos que me fizeram felizes, em que o mundo pareceu estar a meus pés, onde o mundo era derrubavel com um sorriso...

Tenho saudades desse tempo, onde a esperança reinava, onde o futuro era o que quisesse, o que lutasse...

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Apesar de Sorrir...


Apesar de sorrir sem ao menos ter motivos.


Apesar de cantar para disfarçar o pranto


Continuo a afirmar que a felicidade existe...


Apesar de acreditar e as vezes ser traída


Apesar de gostar e não ser correspondida


Apesar de falar e não ser compreendida


Continuo a acreditar que a amizade existe...


Apesar do sol nem sempre estar presente


Apesar da brisa transformar-se em vento forte


Apesar da chuva muitas vezes ser agressiva


Continuo a admirar o esplendor da natureza...


Apesar de conviver com tantas dúvidas


Apesar de me perder nas incertezas


Apesar de viver em eterna busca


Continuo a agradecer o dom da vida!